Buscar
  • Evolução Clin e Cons

O Fator Humano e Acidente de Trabalho: Momento de Parar e Refletir


por Selene Franco Barreto


Neste momento de pandemia  precisamos pensar em nossa qualidade de vida e dos nossos familiares, assim como desenvolver  atitudes mais assertivas em favor da saúde e da segurança. 

Os efeitos da pandemia da COVID-19  teve uma repercussão em várias áreas das nossas vidas de uma forma avassaladora: rotinas totalmente alteradas, principalmente para os empregadores  e os empregados. Uma destas consequências recai de modo preocupante  no âmbito da saúde mental do ser humano.

A epidemia não  é apenas uma ameaça à saúde física das pessoas, mas também atinge a Saúde Mental como situações de: estresse, solidão, tédio, medo, angustia, ansiedade e vários outros sintomas de desconfortos emocional. Algumas pessoas respondem a esses sentimentos negativos na pandemia através do uso de drogas (licitas e ilícitas).   Alguns com justificativas para relaxar, outros  intensificam o consumo  ou começam a usar em horários que não costumavam, como, por exemplo, o  álcool (droga licita mais consumida na pandemia) e a maconha (droga ilícita mais consumida na pandemia).


“Prevenir agora é investimento para o futuro. 

Prevenir na Performance Humana é investimento hoje na segurança.

Prevenir é Evoluir sempre para uma melhor Qualidade de Vida.”


Barreto, SF / 2008

Conforme pesquisa da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), houve uma alta de 38% nas vendas de distribuidoras de bebida alcoólicas e de 27% nas lojas de conveniência desde a instituição  da quarenta no país.  A Organização Mundial de Saúde (OMS)  recomenda que os países limitem a venda de bebidas alcoólicas durante a pandemia da Covid-19. A  Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estimou  que 18% da população brasileira aumentou seu nível de consumo de álcool, elevando o patamar de ingestão diária de bebidas alcoólicas de modo preocupante. 


Enquanto a cannabis foi a substância mais consumida no mundo em 2018, com estimativa de 192 milhões de pessoas, segundo pesquisa do National Institutes of Health, fica constatado outra preocupação neste momento. Na Evolução Clínica e Consultoria que desenvolve o serviço de exames de teste  toxicológico,  foi observado maior índice em relação a maconha.

O consumo destas drogas tem sido cada vez mais vista como socialmente aceitável. As consequências  podem ser banalizadas e  vão desde a violência domestica, intolerância nas relações até  acidentes e incidentes de trabalho. No quadro abaixo destacam-se outras consequências devido ao impacto do consumo no ambiente de trabalho.



Neste sentido, preocupações das empresas com relação à segurança devem ir além dos EPIs, desenvolvendo ações de prevenção continuada de forma clara e consistente afim que todos empregados sejam envolvidos, desde os diretores até os demais funcionários.  Empregadores devem se certificar de que a política da empresa reflete na prática dos cuidados e estratégias de segurança do trabalhador e da empresa.


“A prevenção se dá pela educação.

A educação eleva a conscientização dos problemas.

A conscientização promove a mudança comportamental”.


Selene  Barreto/ 2018 Evolução



0 visualização

 Acesse seu Webmail

Entre em contato conosco: (21) 2205.7223 / 3826.6817 / 3826.6705

© 2015 por Olho Nu design