top of page

Dispositivos eletrônicos para fumar, os impactos nocivos na saúde decorrente do seu uso.


A crescente popularidade dos cigarros eletrônicos, também conhecidos como vapes, é uma tendência preocupante, sobretudo entre os jovens. Embora esses dispositivos tenham sido apresentados como uma alternativa "mais segura" ao tabagismo tradicional, essa percepção não os torna inofensivos. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica o tabagismo como uma significativa causa de mortes evitáveis, contribuindo para mais de 8 milhões de óbitos por ano – 7 milhões resultantes do uso direto do cigarro e cerca de 1,2 milhões associados à exposição ao fumo passivo. É de extrema importância que as pessoas estejam cientes de que os cigarros eletrônicos não estão isentos de riscos. Embora contenham menos substâncias tóxicas quando comparados aos cigarros convencionais, ainda contêm nicotina e outros compostos químicos comprovadamente prejudiciais à saúde. O uso excessivo desses dispositivos pode resultar em dependência física e psicológica, acarretando prejuízos aos pulmões, ao coração e ao sistema vascular. Os vapes têm exercido um apelo especial sobre os jovens, devido aos sabores doces e à percepção de menor dano. Contudo, esses dispositivos podem ser prejudiciais para o desenvolvimento cerebral em adolescentes, jovens e adultos. Os cigarros eletrônicos, portanto, apresentam antigas preocupações em uma nova roupagem, requerendo ações conscientizadoras, cautelosas e reguladoras por parte de profissionais da saúde e políticas públicas. Governos e entidades de saúde devem implementar regulamentações mais rigorosas para a venda, publicidade e marketing de vapes, incluindo a restrição de sabores atrativos e embalagens que atraiam os jovens. Para quem tem em vista parar de fumar, existem alternativas mais seguras, como terapias de reposição de nicotina, medicamentos prescritos e programas de apoio para cessação do tabagismo. Buscar aconselhamento profissional para superar a dependência é sempre a opção mais recomendada. É fundamental educar a sociedade inteira sobre os perigos associados a esses dispositivos e dificultar o seu acesso. Para isso, é importante implementar campanhas educativas direcionadas a todas as faixas etárias, destacando os riscos e as consequências para a saúde. Adotar medidas preventivas é crucial para evitar potenciais complicações de saúde resultantes do consumo excessivo de nicotina e outras substâncias prejudiciais. A promoção de informações e conscientização sobre os riscos é essencial para encorajar um estilo de vida saudável e livre de vícios. Portanto, o reconhecimento do Dia Nacional do Combate ao Fumo, em 29 de agosto, estabelecido em 1986 pela Lei Federal n. 7.488, é de suma importância para sensibilizar e mobilizar em relação aos danos físicos, mentais e sociais relacionados ao tabagismo. Vitória Costa de Souza - Consultora Evolução & Andreia Amaral - Assessora de Projetos Educativos Evolução REFERÊNCIAS: RISCOS e malefícios dos DEFs (Dispositivos Eletrônicos para Fumar). São Paulo - SP, Associação Médica Brasileira (AMB), 2023. CIGARROS eletrônicos: novos hábitos, velhas consequências. Lagoa Santa – MG, Labtest, 2023. https://labtest.com.br/blog/cigarros-eletronicos-informacoes-e-consequencias/


6 visualizações0 comentário
bottom of page